Inicial |   Convenios |   Dicas de Saúde |   Artigos |   Help de Exames |   Perguntas Frequentes |
 
Acccom
Help de Exames
Pesquisa:  
Funedi PROTEÍNAS TOTAIS, DOSAGEM (SANGUE)
 

MNEMÔNICO:
PROT

SINONÍMIA:
PT; Pt

MÉTODO:
Colorimétrico

MATERIAL:
Sangue

CONDIÇÃO:
Jejum não obrigatório

COLETA:
0,5 mL de soro refrigerado

SETOR:
Bioquímica

MARCAÇÃO:
Mesmo dia quando solicitado ou 1 dia útil.

APLICAÇÕES CLÍNICAS:
A determinação das proteínas totais em amostras de sangue é útil para avaliar o estado nutricional e as alterações proteicas nas diversas doenças. A dosagem isolada da proteína total tem pouco valor, porque a alterações em qualquer das frações pode alterar seu valor. Na avaliação do estado nutricional e de edemas, a albumina tem maior utilidade. Na avaliação das globulinas, pode ser necessário a realização de eletroforese de proteínas para separação das frações alfa 1, alfa 2, beta e gama. Dosagem utilizada na avaliação do estado nutricional e na investigação de edemas. Aumentos são encontrados na desidratação, doença hepática, neoplasias, mieloma, macroglobulinemia Waldenstron, hanseníase, leishmaniose, doenças granulomatosas, colagenoses, uso de corticóides, digitais, furosemida e contraceptivos orais. Valores baixos podem ocorrer na gravidez, cirrose, imobilização prolongada, insuficiência cardíaca, síndrome nefrótica, neoplasias, enteropatias perdedoras de proteínas, desnutrição, hipertireoidismo, queimaduras, doenças crônicas e no uso de carvedilol e laxativos. Hemólise pode causar aumentos espúrios.

VALOR DE REFERÊNCIA:
De 5,7 a 8,2 g/dL

ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO:
22/07/2011



Funedi PROTEÍNAS, PESQUISA (URINA RECENTE)
 

MNEMÔNICO:
PROT-P

SINONÍMIA:
Albuminúria Pesquisa; Alb-Urina; Pesquisa de Albumina; Albumina Pesquisa; Pesquisa de Proteínas; Proteínas Pesquisa

MÉTODO:
Fita reagente

MATERIAL:
Urina Recente

CONDIÇÃO:
Urina recente sem conservante

COLETA:
10,0 mL de urina recente sem conservante

INSTRUÇÕES PARA COLETA DE URINA ALEATÓRIA OU RECENTE

*Para realização destes exames é necessário que seja colhida a primeira urina da manhã ou que o cliente esteja com intervalo de no mínimo 4 horas sem urinar;
*Proceder higienização das mãos e dos genitais, antes da coleta, da seguinte forma: Fazer a assepsia do local com sabão neutro e enxaguar bem. Secar com toalha limpa ou papel toalha;
*Colher jato médio (2° jato), ou seja, desprezar uma amostra inicial (1° jato). Em casos em que o médico solicitar o exame em 1 jato, a coleta deverá ser feita da seguinte maneira: colhe-se a amostra inicial (1o jato) e despreza-se o restante da micção;
*Colher a urina diretamente em um frasco estéril fornecido pelo laboratório ou adquirido em drogarias;
*Identificar o frasco com o nome completo;
*Entregar o material no laboratório até no máximo em 2 horas após a coleta. Tais exames exigem que o paciente não esteja fazendo uso de medicamentos tópicos na região genital ou antibióticos (exigência somente para o exame de cultura);Obs.: Em coletas infantis, o saco coletor deverá ser trocado a cada 30 minutos, após nova higienização.
*Evitar colher a amostra quando em período menstrual (caso não seja urgência).
SETOR:
Urinálise

MARCAÇÃO:
Mesmo dia quando solicitado ou 1 dia útil.

APLICAÇÕES CLÍNICAS:
A presenca de proteínas na urina nem sempre significa doença renal. Contudo, sua presença exige que sejam feitas outras análises para determinar se essa proteína representa uma condição normal ou patológica.

VALOR DE REFERÊNCIA:
Negativo

ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO:
07/01/2010



Funedi PROTEÍNAS/CREATININA, RELAÇÃO (URINA AMOSTRA ÚNICA
 
MNEMÔNICO:
PROT-U

SINONÍMIA:
Relação Proteínas/Creatinina; Proteinúria; Proteinúria de Amostra Recente; Proteínas na Urina (Amostra recente)

MÉTODO:
Precipitação proteica - Colorimétrico

MATERIAL:
Urina Recente

CONDIÇÃO:
Urina amostra única/isolada. Urina recente (jato médio da primeira urina da manhã).

COLETA:
0,5 mL de urina recente refrigerada

INSTRUÇÕES PARA COLETA DE URINA ALEATÓRIA OU RECENTE

*Para realização destes exames é necessário que seja colhida a primeira urina da manhã ou que o cliente esteja com intervalo de no mínimo 4 horas sem urinar;
*Proceder higienização das mãos e dos genitais, antes da coleta, da seguinte forma: Fazer a assepsia do local com sabão neutro e enxaguar bem. Secar com toalha limpa ou papel toalha;
*Colher jato médio (2° jato), ou seja, desprezar uma amostra inicial (1° jato). Em casos em que o médico solicitar o exame em 1o jato, a coleta deverá ser feita da seguinte maneira: colhe-se a amostra inicial (1o jato) e despreza-se o restante da micção;
*Colher a urina diretamente em um frasco estéril fornecido pelo laboratório ou adquirido em drogarias;
*Identificar o frasco com o nome completo;
*Entregar o material no laboratório até no máximo em 2 horas após a coleta. Tais exames exigem que o paciente não esteja fazendo uso de medicamentos tópicos na região genital ou antibióticos (exigência somente para o exame de cultura);Obs.: Em coletas infantis, o saco coletor deverá ser trocado a cada 30 minutos, após nova higienização.
*Evitar colher a amostra quando em período menstrual (caso não seja urgência).

SETOR:
Biioquímica

MARCAÇÃO:
2 dias úteis

APLICAÇÕES CLÍNICAS:
A quantificação da proteinúria pode ser realizada em urina de 24 horas ou em amostra isolada corrigida por creatinina urinária. A quantificação de proteinúria em urina de 24 horas é considerada o padrão ouro. O uso da razão proteinuria/creatininuria (em mg de proteina/grama de creatinina), em amostra isolada, é tido como um método de mensuração menos sujeito a erros de coleta. Correlaciona-se de forma importante com a medida em 24 horas, principalmente quando é utilizada a primeira amostra da manhã. Proteinúria é um marcador de doença renal e constitui um fator de risco independente para sua progressão. Portanto, a pesquisa e quantificação da proteinúria são importantes para a avaliação do comprometimento renal em diversas doenças e acompanhamento desses pacientes.

VALOR DE REFERÊNCIA:

Proteínas urinárias:
Inferior a 12,0 mg/dL
Sensibilidade: 6,0 mg/dL
Linearidade..: 200,0 mg/dL
Coeficiente de variação biológica: 39,6%
Erro total permitido: 43,5%
Fonte: www.westgard.com

Creatinina urinária:
Primeira urina da manha:
Homens : 39,0 a 259,0 mg/dL
Mulheres : 28,0 a 217,0 mg/dL

Sensibilidade.: 0,1 mg/dL
Linearidade...: 650,0 mg/dL
Coeficiente de variação biológica: 24,0%
Erro total permitido: 28,4%
Fonte: www.westgard.com

Relação Proteina/Creatinina:
Inferior a 200,0 mg/g creatinina

Fonte: Diretrizes Brasileiras de Doenca Renal Cronica - Jornal Brasileiro de
Nefrologia - Volume XXVI - Numero 3 - Suplemento 1 -Agosto 2004

Comentário: A relação proteína/creatinina em amostra aleatória de urina
correlaciona-se bem com a medida de proteinúria em urina de 24 horas, principalmente quando utiliza a primeira urina da manhã.

ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO:
20/07/2010


Funedi PROTEINÚRIA, DOSAGEM (URINA 12 HORAS)
 

MNEMÔNICO:
PROT-U12

SINONÍMIA:
Proteinúria; Proteinúria de 12 horas; Proteínas na urina de 12 horas.

MÉTODO:
Vermelho de Pirogalol

MATERIAL:
Urina de 12 horas

CONDIÇÃO:
Urina de 12 horas sem conservante

COLETA:
5,0 mL de urina de 12 horas sem conservante e refrigerada

INSTRUÇÕES PARA COLETA DE URINA DE 12 HORAS

* Ao acordar pela manhã esvaziar totalmente a bexiga desprezando toda a urina;
* Colher a urina preferencialmente em frasco próprio para coleta de urina de 12 horas fornecido pelo laboratório ou em garrafas de água mineral limpas e secas;
* A partir daí colher rigorosamente todas as micções (inclusive à noite) e não apenas uma parte. Para os exames realizados na urina de 12 horas é necessário para o laboratório saber qual é o real volume de urina eliminado num período de 12 horas, por isso, caso aconteça de esquecer de colher alguma micção o paciente deve interromper a coleta e iniciá-la novamente no dia seguinte;
* Colher toda as micções e também, integralmente, a primeira micção do dia seguinte, no mesmo horário em que esvaziou a bexiga no dia anterior;
* Identificar o frasco com o nome completo e horário de início e término da coleta;
* Importante: É fundamental que seja entregue no laboratório toda a amostra de urina colhida no período de 12 horas. Qualquer erro nesta coleta implicará em erro nos resultados dos exames;
* Evitar fazer esta coleta nos dias nos quais haja mudança nos seus hábitos (dieta, exercícios físicos, stress, etc);
* Muitos exames exigem conservantes que devem ser adicionados ao frasco coletor (Atenção: este conservante não deve ser ingerido), por isso, leia atentamente o rótulo do frasco de conservante quando este lhe for entregue pela recepcionista ou colhedor. Para os exames que não utilizarem conservantes, o material colhido deverá ser entregue no laboratório até no máximo 2 horas após o término da coleta;
* Muitos exames exigem dieta ou recomendações específicas, por isso, siga atentamente as instruções;
* Informar à recepcionista no ato do atendimento o peso corporal e altura.

SETOR:
Bioquímica

MARCAÇÃO:
2 dias úteis

APLICAÇÕES CLÍNICAS:
Em condições fisiológicas o glomérulo impede a passagem das moléculas de proteína para urina. Normalmente, pequenas quantidades são eliminadas na urina, sendo a albumina a proteína predominante. Proteinúrias funcionais podem ocorrer em decorrência de atividade muscular, frio excessivo, grávidas (em pequenas quantidades) e na proteinúria ortostática benigna. Elevações podem decorrer de alterações patológicas: febre, congestão venosa, gamopatias monoclonais, glomerulonefrites, síndrome nefrótica, eclampsia, infecção urinária, prostatite, uretrite.

VALOR DE REFERÊNCIA:
Não há valores de referência para dosagens em amostra de urina de 12 horas.

ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO:
07/01/2010



Funedi PROTEINÚRIA, DOSAGEM (URINA DE 24 HORAS)
 
MNEMÔNICO:
PROTU24LA

SINONÍMIA:
Proteinúria; Proteinúria de 24 horas; Proteínas na urina de 24 horas; Macroproteinúria.

MÉTODO:
Precipitação proteica

MATERIAL:
Urina de 24 horas

CONDIÇÃO:
Urina de 24 horas sem conservante

COLETA: 
0,5 mL de urina de 24 horas sem conservante e refrigerada

INSTRUÇÕES PARA COLETA DE URINA 24 HORAS

* Ao acordar pela manhã esvaziar totalmente a bexiga desprezando toda a urina;
*Colher a urina preferencialmente em frasco próprio para coleta de urina de 24 horas fornecido pelo laboratório ou em garrafas de água mineral limpas e secas;
*A partir daí colher rigorosamente todas as micções (inclusive à noite) e não apenas uma parte. Para os exames realizados na urina de 24 horas é necessário para o laboratório saber qual é o real volume de urina eliminado num período de 24 horas, por isso, caso aconteça de esquecer de colher alguma micção o paciente deve interromper a coleta e iniciá-la novamente no dia seguinte;
*Colher toda as micções e também, integralmente, a primeira micção do dia seguinte, no mesmo horário em que esvaziou a bexiga no dia anterior;
*Identificar o frasco com o nome completo e horário de início e término da coleta;
* Importante: É fundamental que seja entregue no laboratório toda a amostra de urina colhida no período de 24 horas. Qualquer erro nesta coleta implicará em erro nos resultados dos exames;
*Evitar fazer esta coleta nos dias nos quais haja mudança nos seus hábitos (dieta, exercícios físicos, stress, etc);
*Muitos exames exigem conservantes que devem ser adicionados ao frasco coletor (Atenção: este conservante não deve ser ingerido), por isso, leia atentamente o rótulo do frasco de conservante quando este lhe for entregue pela recepcionista ou colhedor. Para os exames que não utilizarem conservantes, o material colhido deverá ser entregue no laboratório até no máximo 2 horas após o término da coleta;
*Muitos exames exigem dieta ou recomendações específicas, por isso, siga atentamente as instruções;
*Informar à recepcionista no ato do atendimento o peso corporal e altura.

SETOR:
Bioquímica

MARCAÇÃO:
2 dias úteis

APLICAÇÕES CLÍNICAS:
A avaliaçãoo quantitativa de proteinúria é mais precisa quando realizada em amostra de urina de 24 horas. Em amostra aleatória pode ser utilizada a relação proteína/creatinina na urina. Valores menores que 0,2 são considerados normais. A dosagem de proteínas urinárias auxilia na avaliação do comprometimento renal em diveras doenças, através da quantificação da perda de proteínas pela urina.
Em condições fisiológicas o glomérulo impede a passagem das moléculas de proteína para urina. Normalmente, pequenas quantidades são eliminadas na urina, sendo a albumina a proteína predominante. Proteinúrias funcionais podem ocorrer em decorrência de atividade muscular, frio excessivo, grávidas (em pequenas quantidades) e na proteinúria ortostática benigna. Elevações podem decorrer de alterações patológicas: febre, congestão venosa, gamopatias monoclonais, glomerulonefrites, Síndrome nefrótica, eclâmpsia, infecção urinária, prostatite, uretrite.

VALOR DE REFERÊNCIA:
Inferior a 140 mg/24h

Para resultados de proteinúria abaixo do limite de detecção do método (valores inferiores a 4 mg/dL)não é possível a realização do cálculo de proteinúria de 24 horas. Nestes casos, geralmente associados a ausência de proteinúria, pode ser pesquisada, a critério clínico, a perda de pequenas quantidades de albumina pela pesquisa de microalbu-
minúria.
ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO:
27/09/2010


Funedi PROTOZOÁRIOS, PESQUISA
 

MNEMÔNICO:
PROTO-P

SINONÍMIA:
Pesquisa para Trichomonas; Pesquisa para Trichomonas vaginalis; Pesquisa para Tricomonas; Pesquisa para Tricomonas vaginalis; Parasitas - Pesquisa; Protozoários - Pesquisa;

MÉTODO:
Microscopia Ótica Direta

MATERIAL:
Secreção uretral, Secreção vaginal, Secreção endocervical, Urina 1º jato, Esperma, etc

COLETA:
Quando médico solicitar mais de uma amostra, coletar e enviar a amostra do dia. Não esperar acumular as amostras para enviá-las juntas.

INTERFERENTES :
Uso de antibióticos e quimioterápicos.

INSTRUÇÕES :
*Urina
* Para realização destes exames é necessário que seja colhida a primeira urina da manhã ou que o cliente esteja com intervalo de no mínimo 4 horas sem urinar;
*Proceder higienização das mãos e dos genitais, antes da coleta, da seguinte forma: Fazer a assepsia do local com sabão neutro e enxaguar bem. Secar com toalha limpa ou papel toalha;
*Colher jato médio (2° jato), ou seja, desprezar uma amostra inicial (1° jato). Em casos em que o médico solicitar o exame em 1º jato, a coleta deverá ser feita da seguinte maneira: colhe-se a amostra inicial (1º jato) e despreza-se o restante da micção;
*Colher a urina diretamente em um frasco estéril fornecido pelo laboratório ou adquirido em drogarias;
*Identificar o frasco com o nome completo;
*Entregar o material no laboratório até no máximo em 2 horas após a coleta. Tais exames exigem que o paciente não esteja fazendo uso de medicamentos tópicos na região genital ou antibióticos (exigência somente para o exame de cultura);Obs.: Em coletas infantis, o saco coletor deverá ser trocado a cada 30 minutos, após nova higienização.
*Evitar colher a amostra quando em período menstrual (caso não seja urgência).

*Esperma: enviar no mínimo 1,0 ml em tubo estéril e refrigerado entre 2 e 8ºC.

SETOR:
Parasitologia

MARCAÇÃO:
Mesmo dia quando solicitado ou 1 dia útil

APLICAÇÕES CLÍNICAS:
A pesquisa é utilizada para confirmação de infecção em pacientes com quadro clínico sugestivo e pesquisa negativa. Também indicada na propedêutica de uretrite nao gonococica e prostatite.

ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO:
07/01/2010



Funedi PSA LIVRE/TOTAL, RELAÇAO
 
MNEMÔNICO:
PSALT

SINONÍMIA:
Antígeno Prostático Específico; PSA Ultra Sensível Livre e Total; PSA Total e Livre; PSATL; PSA-T/L; Relação PSA Livre/PSA Total; Antígeno Específico da Prostáta; Marcador Tumoral;

MÉTODO:
Quimioluminescência (CMIA)

MATERIAL:
Sangue

CONDIÇÃO:
Jejum não obigatório

COLETA:
0,5 mL de soro refrigerado

INSTRUÇÕES PARA O PACIENTE:

* A coleta deve ser realizada 2 dias após relações sexuais (ejaculação).
* Caso o paciente tenha realizado exercício de bicicleta/motocicleta/equitação a coleta deverá ser feita após 2 dias.
* Cistoscopia 5 dias após a realização, Ultra-som transretal 7 dias após a realização.
* A coleta após Colonoscopia/ Retossigmoidoscopia deve ser depois de 15 dias, e em caso de Biópsia e/ou massagem de próstata após 1 mês

SETOR:
Endrocrinologia

MARCAÇÃO:
2 dias úteis

APLICAÇÕES CLÍNICAS:
Em pessoas saudáveis, 80 a 90% do PSA total circula ligado a proteínas plasmáticas como alfa1-antiquimotripsina e alfa2-macroglobulina. Em pacientes com adenocarcinoma de próstata, uma maior proporção se encontra ligada (>90%). Assim,a relação PSA livre/PSA total é usada na avaliação de pacientes com PSA total de valores intermediários (entre 2,5 e 10 ng/mL), na tentativa de selecionar aqueles que se beneficiariam da biópsia. Nestes casos, valores muito baixos da relação PSA Total/PSA livre (<10%) estão associados a maior risco de câncer (cerca de 55%) e valores maiores que 25% se associam a menor risco (entre 5 e 9%). A relação entre PSA livre e total deve ser valorizada apenas quando o PSA Total estiver elevado. O significado clínico do cálculo quando o PSA total esta dentro dos valores de referência não está estabelecido na literatura.
O antígeno prostático específico é uma protease produzida quase que exclusivamente pelas células epiteliais do tecido prostático. Está presente em altas concentrações no líquido seminal. Níveis pré-operatórios correlacionam (ainda que imperfeitamente) com extensão da doença em pacientes com câncer prostático. PSA é útil na detecção de tumor prostático e no seguimento do seu tratamento. Pode apresentar-se elevados nos quadros de prostatite. Aproximadamente 25 a 46% dos homens com hiperplasia prostática benigna tem concentração elevada de PSA. Pacientes com prostatite também exibem elevações do PSA. O nível de PSA não é utilizado isoladamente para estagiamento e seleção de candidatos para prostatectomia radical. Elevações podem ser encontradas após o exame retal digital, massagem prostática, instrumentação uretral, ultra-som transretal, biópsia prostática por agulha, retenção urinária, infarto ou isquemia prostáticas e relação sexual. Sua utilização pré-operatória não define acuradamente se o carcinoma se aprsenta com ou sem invasão capsular. No seguimento dos pacientes é muito importante manter a utilização do mesmo ensaio. A velocidade do PSA é uma expressão utilizada para indicar a taxa de mudança do PSA. Pode prover um índice capaz de detecção precoce do adenocarcinoma prostático com distinção entre os normais e aqueles com hiperplasia prostática benigna. Flutuações fisiológicas menor ou igual a 30% são descritas.

VALOR DE REFERÊNCIA:
* PSA TOTAL
Até 2,50 nanog/mL

Em caso de resultado conflitante com a suspeita clínica, favor entrar em contato com o laboratório. A rara eventualidade da presença de anticorpos contra algum componente do ensaio pode interferir no resultado deste exame

* PSA LIVRE
Interpretação - relação PSA livre/PSA total superior a 20% indica maior probabilidade de Hiperplasia Prostática Benigna.

A relação entre PSA Livre e Total deve ser valorizada quando o PSA Total estiver entre 2,5 e 10,5 ng/dL. Para os casos de PSA Total dentro dos valores de referência, o significado clínico do cálculo não está estabelecido na literatura.

* RELAÇÃO PSA LIVRE / PSA TOTAL
Interpretação: relação superior a 20% indica maior probabilidade de Hiperplasia Prostática Benigna.

A relação entre PSA Livre e Total deve ser valorizada quando o Psa total estiver entre 2,5 e 10,0 ng/dL.O significado clínico do cálculo quando o PSA total está dentro dos valores de referência não está estabelecido na literartura.

Fonte: Babaian RJ, et al.The indice of prostate cancer in a screening population with a serum prostate specific antigen between 2.5 and 4.0 ng/mL: Relation to biopsy strategy. J Urol. 2001;165(3):757-60.

ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO:
28/07/2011


Funedi PSA TOTAL (ULTRA SENSÍVEL), DOSAGEM
 

MNEMÔNICO:
PSA

SINONÍIMIA:
Antígeno Prostático Específico; PSA Ultra Sensível; PSA; PSAT; PSA-T; Antígeno Específico da Prostáta; Marcador Tumoral;

MÉTODO:
Quimioluminescência (CMIA)

MATERIAL:
Sangue

CONDIÇÃO:
Jejum não obrigatório

COLETA:
0,5 mL de soro refrigerado

INSTRUÇÕES PARA COLETA:
* A coleta deve ser realizada 2 dias após relações sexuais (ejaculação).
* Caso o paciente tenha realizado exercício de bicicleta/motocicleta/equitação a coleta deverá ser feita após 2 dias.
* Cistoscopia 5 dias após a realização, Ultra-som transretal 7 dias após a realização.
* A coleta após Colonoscopia/ Retossigmoidoscopia deve ser depois de 15 dias, e em caso de Biópsia e/ou massagem de próstata após 1 mês

SETOR:
Imunologia

MARCAÇÃO:
2 dias úteis

APLICAÇÕES CLÍNICAS:
PSA é utilizado como marcador de adenocarcinoma de próstata. Está aumentado na maioria dos homens com câncer de próstata, mas também em doenças benignas. São causas de aumento de PSA: hiperplasia prostática benigna, câncer de próstata, prostatites, instrumentação trans-retal, toque retal, retenção urinária, além de algumas de doenças não relacionadas a próstata. Apesar de ser muito usado para rastreamento de câncer de próstata em assintomáticos, estudos prospectivos não demonstraram aumento de sobrevida nos pacientes rastreados com dosagem de PSA. Relação PSA livre/PSA total, velocidade de aumento de PSA e densidade de PSA podem auxiliar no diagnóstico de câncer de próstata, principalmente quando o PSA total se encontra na zona cinza (até 10 nanog/dL). O PSA é muito útil no seguimento de pacientes após prostatectomia radical, devendo ser utilizado em dosagens seriadas.

O antígeno prostático específico é uma protease produzida quase que exclusivamente pelas células epiteliais do tecido prostático. Está presente em altas concentrações no líquido seminal. Níveis pré-operatórios correlacionam (ainda que imperfeitamente) com extensão da doença em pacientes com câncer prostático. PSA é útil na detecção de tumor prostático e no seguimento do seu tratamento. Pode apresentar-se elevados nos quadros de prostatite. Aproximadamente 25 a 46% dos homens com hiperplasia prostática benigna tem concentração elevada de PSA. Pacientes com prostatite também exibem elevações do PSA. O nível de PSA não é utilizado isoladamente para estagiamento e seleção de candidatos para prostatectomia radical. Elevações podem ser encontradas após o exame retal digital, massagem prostática, instrumentação uretral, ultra-som transretal, biópsia prostática por agulha, retenção urinária, infarto ou isquemia prostáticas e relação sexual. Sua utilização pré-operatória não define acuradamente se o carcinoma se aprsenta com ou sem invasão capsular. No seguimento dos pacientes é muito importante manter a utilização do mesmo ensaio. A velocidade do PSA é uma expressão utilizada para indicar a taxa de mudança do PSA. Pode prover um índice capaz de detecção precoce do adenocarcinoma prostático com distinção entre os normais e aqueles com hiperplasia prostática benigna. Flutuações fisiológicas menor ou igual a 30% são descritas.

VALOR DE REFERÊNCIA:
Ate 2,50 nanog/mL

Em caso de resultado conflitante com a suspeita clínica, favor entrar em contato com o laboratório. A rara eventualidade da presença de anticorpos contra algum componente do ensaio pode interferir no resultado deste exame.

ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO:
28/07/2011



Funedi PTH INTACTO - PARATORMÔNIO - MOLÉCULA INTEIRA
 

MNEMÔNICO:
PTH

SINONÍMIA:
Paratormônio; PTH; Partormônio Intacto; Paratormônio Molécula Inteira; Paratormônio Molécula Intacta; PTH Intacto; PTH Molécula Inteira; PTH Molécula Intacta; Hormônio da Paratireoide;

MÉTODO:
Quimioluminescência - DPC

MATERIAL:
Sangue

CONDIÇÃO:
Jejum obrigatório de 8 horas. Colher pela manhã e informar medicamentos.

COLETA:
0,5 mL de soro congelado

SETOR:
Endocrinologia

MARCAÇÃO:
2 dias úteis

APLICAÇÕES CLÍNICAS:
O paratôrmonio (PTH) é um hormônio polipeptídico secretado pelas paratireóides e atua na na regulação das concentrações de cálcio plasmático e no metabolismo ósseo. Como a hipocalcemia atua estimulando secreção de
PTH, seus valores devem ser sempre avaliados em associação aos valores de cálcio. Sua dosagem é útil no diagnóstico diferencial das duas principais causas de hipercalcemia (hiperparatireoidismo primário e hipercalcemia relacionada a malignidade) estando aumentado no hiperparatireoidismo primário. No diagnóstico diferencial de hipocalcemia o PTH também pode ser utilizado. São causa de hipocalcemia: hipoparatireoismo primário, pancreatite aguda, sepse, rabdomiólise, deficiência de magnésio, insuficiência renal crônica, dentre outros. Pacientes com insuficiência renal crônica apresentam hiperparatireoidismo secundário.

O PTH responde prontamente as variações do cálcio plasmático. A avaliação do PTH deve ser feita em conjunto com a dosagem do cálcio, pois podemos diagnosticar o hiperparatireoidismo primário pelo encontro de PTH elevado com cálcio discretamente elevado ou mesmo nos limites superiores da normalidade. Outras causas de hipercalcemia exibem o PTH em níveis baixos. A hipocalcemia apresenta PTH em concentrações elevadas; este fato ocorre na deficiência da vitamina D, como também na insuficiência renal crônica. No hipoparatireoidismo encontramos níveis baixos do cálcio com PTH indetectável ou em concentrações baixas. Se o PTH estiver aumentado, o diagnóstico provável e de pseudohipoparatireoidismo. Na avaliação de litíase renal, a dosagem do PTH pode diagnosticar um hiperparatireoidismo.

VALOR DE REFERÊNCIA:
 
11 a 67 picog/mL

ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO:
14/062011



Rua Cel. João Notini - Nº. 116 - Centro - Divinópolis/MG - (37) 3221-9142
Vinte Três de Novembro, 345 - São João de Deus - Divinópolis/MG - (37) 3215-4482
Diógenes Nogueira, 11 - Loja 05 “ED. Central Park” - Centro - Itaúna/MG - (37) 3241-5455

Intranet Laboratório Análise

Site desenvolvido por OnlineSites | Desenvolvimento e criação de sites
Laboratório Análise | Todos os direitos reservados | © 2008-2010 Login de Acesso